out 29

A rama é muito conhecida no segmento têxtil, uma vez que ela é parte essencial do processo de acabamento. Ela consiste, basicamente de uma corrente transportadora que corre sobre o trilho de função alargadora, além de uma estufa aquecida para secar e proporcionar o tratamento térmico.

Utilizada em tecidos planos, malhas ou não tecidos, ela atua em processos de termofixação, cura de produtos químicos ou estampados, secagem e alguns tipos de tingimentos.

Apesar das beneficiadoras têxteis normalmente serem bem desenvolvidas nos processos de acabamentos e beneficiamentos, ainda existem alguns problemas que causam custos a essas empresas. A boa notícia é que já existem acessórios que podem solucionar grande parte deles. Continue a leitura e compreenda!

 

Dificuldades comuns da utilização da rama têxtil

Utilizar a rama têxtil é essencial, mas existem alguns problemas decorrentes de seu uso, como a introdução de rama não agulha corretamente, o sistema engomador desalinhado, a corrente de agulhamento com folgas, o sistema cortador de ourelas  sem precisão no corte, excesso de fumaça, entre outros.

Abaixo falaremos sobre as soluções existentes para esses problemas. Assim você pode modernizar a sua indústria têxtil e aumentar a produtividade da rama têxtil.

 

Redução da fumaça

Sua empresa costumam colocar o tecido cru na rama, sem realizar o processo de purga antes? Pois saiba que isso pode estar causando o excesso de fumaça, já que a sujeira e óleo são aquecidos e evaporados, saindo muita fumaça do sistema de exaustão e prejudicando o meio ambiente. Além disso, parte do óleo se cristaliza nas fibras, dificultando a absorção dos corantes e enrijecendo o toque dos tecidos.

Para evitar que isso aconteça, o tecido deve passar pelo processo de purga antes da pré-fixação. Assim ele entra limpo e não causa os problemas citados, podendo eliminar até mesmo o lavador de gases para a exaustão.

 

E-book]Como garantir o controle de qualidade na indústria têxtil?

 

Controle de tensão dos tecidos

Tecidos com elastano, principalmente de malha, possuem mais fibra de elastano em sua composição, tornando o controle de tensão ainda mais necessário. Embora a rama possa controlar a superalimentação para obter o encolhimento, é necessário evitar o estiramento.

Para controlar a tensão, fique atento a cada passo da entrada, desde o centralizador, desenrolamento, roscas abridoras, equipamento de sincronismo, endireitador e tramas, entre outros.

Tenha ainda o controle de padrões e procedimentos do processo produtivo e realize tratamentos para que o tecido e a contração sejam restauradas ao estado original.

A Hidro Aspersora, por exemplo, ajuda a inserir a umidade necessária ao tecido de acordo com a composição da malha, além de evitar a quebra do processo ao realizar o acabamento com  amaciantes, tratamentos anti-chamas, impermeabilizantes, entre outros.

 

 

Controle de agulhamento

Uma outra característica importante para aumentar a produtividade da rama têxtil é realizar o controle de agulhamento. Os resíduos que já passaram por todas as fases de produção devem ser aproveitados ao máximo e, por isso, é necessário cortar o mínimo possível de ourela, introduzindo o tecido nas agulhas de maneira constante, o mais próximo possível das bordas.

Alguns acessórios podem ser acoplados à rama para auxiliar, como por exemplo:

Sistema de alinhamento e introdução de rama – combinado com a fotocélula e abridor de ourelas, este equipamento foi desenvolvido para promover o movimento eficiente dos trilhos da rama na posição correta. Com isso, ele assegura o perfeito posicionamento dos tecidos/malha sobre o agulhamento.

Abridor de ourelas – equipamento desenvolvido para remover dobras e enrolados dos matérias têxteis, normalmente utilizado em entradas de ramas, de secadores agulhados e de rametas (compactadeiras).

Sensor guia de borda – Ideal para maquinas de processos contínuos, estes sensor identifica bordas de malha/tecido, trazendo mais qualidade para o material que sua empresa produz.

Sensor régua digital – Elimina erros de leitura normalmente cometidos pelo método convencional trena, ele é utilizado para monitoramento da variação da largura de malha/tecidos. Pode ser acoplado em ramas, compactadeiras, revisadeiras, non stop e outros equipamentos de processos contínuos que necessitem controle de qualidade.

 


 

Controle de gramatura

Nos casos de tecidos elásticos, a gramatura nunca é constante quando entra na rama, pois os processos anteriores, o manejo e o armazenamento do tecido afetam o resultado. Atualmente as fábricas controlam por amostragem, um processo em que uma amostra do tecido é retirada de cada peça, cortada e medida pelo operador na saída da rama.

Além de afetar a produção, o processo depende do operador e não analisa variações e, dependendo de como é realizado, ele ainda pode gerar falhas e retrocessos. O ideal é acoplar equipamentos na saída da rama para que os tecidos secos sejam medidos.

A revisadeira pode cumprir com essa função, coletando informações sobre o tecido e analisando possíveis defeitos.

Depois de todas essas dicas, com certeza a sua empresa está mais preparada para aumentar a produtividade da rama têxtil. Se quiser aumentar ainda mais a produtividade de modo geral, confira agora como melhorar a produtividade de uma fábrica de confecção!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *