Pessoas em uma reunião discutindo a eficiência na confecção com o layout de máquinas atual da empresa.

mar 14

Proporcionar eficiência na confecção é uma meta muito deseja por supervisores de produção e manutenção, mas, por vezes, muitos acreditam que ela demande grandes transformações e investimentos.

Neste artigo, apresentaremos uma solução muito acessível: a reorganização do layout de máquinas. Apesar de demandar planejamento, ele pode trazer diversos benefícios quando feito de forma adequada. Continue a leitura e compreenda melhor este assunto!

 

O que é layout de fábrica?

O layout de fábrica é o arranjo físico utilizado para que o fluxo de produção ocorra.

A forma como ele é planejado pode resultar em otimização ou atraso do processo produtivo. Por isso, pensar em como o maquinário é posicionado faz toda a diferença para os resultados obtidos pelas confecções.

 

Como ele influencia na eficiência na confecção?

Quando o maquinário está posicionado em locais aleatórios, é grande a probabilidade de que estejam ocorrendo problemas como gargalos de transporte, movimentação excessiva de materiais, excesso de trabalho e até mesmo acidentes.

O bom layout é aquele que facilita a movimentação, sempre levando em consideração o fluxo produtivo, e o conforto dos trabalhadores e a redução máxima do transporte dos materiais entre os postos de trabalho.

 

O transporte não acrescenta valor ao produto, ele só desloca os materiais sem representar benefícios.

 

Existem três tipos principais de layout:

 

Layout por produto/linear

Neste tipo de layout, as máquinas são fixas e é o produto que se move. Em alguns casos, a máquina e o operador acompanham o produto na linha.

É um modelo muito utilizado para a fabricação de um mesmo produto em massa e é vantajoso para automatização de processos.

Layout por processo/funcional

O layout por processo é recomendado para fábricas em que os produtos possuem fluxos diferentes nas mesmas máquinas.

É indicado para indústrias que possuam uma diversificação nos itens produzidos.

Layout fixo

O produto fica imóvel e a matéria-prima, máquinas equipamentos e trabalhadores se movimentam ao redor dele.

É muito utilizado para a fabricação de produtos grandes como navios e aviões.

 

Como aprimorar o layout em uma confecção?

Para começar, é importante verificar qual é a necessidade da confecção e ter cuidado para seguir as normas, como a distância entre os postos de trabalho e com o cruzamento de materiais e produtos.

Em uma indústria têxtil já preparada para a manufatura avançada o fluxo costuma ocorrer da seguinte forma:

1 – Recebimento e qualificação do material recebido

É feita a qualificação da mercadoria de acordo com a ficha técnica do fornecedor. Também é utilizada uma Lavadora de Amostras para realizar o teste de encolhimento e análise da alteração dimensional.

Quando o material não passa no teste, ele volta para o fornecedor por não conformidade.

 

+ Saiba maisO que é controle de qualidade? Como funciona na indústria têxtil?

 

2 – Inspeção de qualidade

 

Relatórios de controle de qualidade sobre a mesa, esse tipo de análise ajuda a melhorar a eficiência da da confecção.
Ter os dados claros sobre a matéria prima é fundamental quando se fala em eficiência na confecção.

Quando aprovado na etapa anterior, o tecido passa pela inspeção de qualidade na Revisadeira, que gera um mapa de defeitos e indica o comprometimento da área útil, além da análise da qualidade de cada rolo. Quando reprovada, a matéria-prima retorna ao fornecedor.

 

+ Saiba maisComo modernizar o controle de qualidade na confecção?

 

3 – Descanso de malha

Se for aprovada na inspeção de qualidade, a malha precisa passar pelo relaxamento. No método tradicional, essa etapa demora até dois dias, mas com uma Relaxadeira de Malhas é preciso apenas alguns minutos.

 

+ Saiba mais: 6 mitos e verdades sobre relaxamento de malha

 

4 – Armazenamento colmeia

Embora os armazenamentos mais comuns sejam feitos em estantes e prateleiras, com uma Embaladeira semiautomática ou automática, é possível preservar os rolos, além de otimizar a organização e economizar espaço.

5 – Enfesto e corte

Como nas etapas anteriores é possível obter as medidas exatas e o estado de cada rolo, é possível planejar o corte de acordo com o aproveitamento de cada rolo. Assim, o processo de enfesto é facilitado e são evitados desperdícios.

Apesar de nem todas as confecções seguirem exatamente o mesmo padrão, utilizaremos o processo acima como exemplo.

Com relação ao layout da fábrica, imagine como seria prejudicial se a máquina responsável pelo relaxamento de malhas (3ª etapa), ficasse ao lado da máquina do setor de análise do material (1ª etapa) e longe da Revisadeira (2ª etapa).

O trabalho para o transporte dos produtos de uma etapa a outra seria muito maior.

No entanto, se a máquina referente a cada etapa estivesse posicionada de forma correta, a eficiência na confecção aumentaria muito mais. Seria gasto menos tempo para a finalização do produto, melhorando os resultados do Retorno Sobre Investimento(ROI).

Por falar em ROI, o cálculo dessa métrica também é decisivo para manter a eficiência na confecção, para saber mais a respeito, confira agora este artigo e descubra como calcular o ROI do rolo de malha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *