nov 29

Atualizado em: 04/04/2019


A preparação de malha é uma etapa muito importante do controle de qualidade têxtil. No entanto, ao contrário do que algumas pessoas imaginam, ela se inicia muito mais cedo que o processo de confecção do produto final. Na verdade, sua realização é indispensável logo no início da produção, durante a seleção de matéria-prima.

Antes de começar a usar um rolo de malha, é importante identificar possíveis defeitos, como furos e falhas. O controle permite eliminar desperdícios, reduzir custos, garantir a qualidade desejada das peças e mapear os melhores fornecedores para sua indústria têxtil.

Ou seja, a qualidade de um rolo de malha vai influenciar todos os resultados que serão obtidos no passo a passo da cadeia produtiva e, posteriormente, nas vendas dos produtos.

Por isso, é indispensável manter um controle de qualidade têxtil desde o momento em que receber um rolo de malha na sua empresa. Confira agora como esse processo é feito na confecção 4.0 e quais são as mudanças e os impactos que elas causam!

 

O que considerar durante o controle de qualidade de um rolo de malha?

Já na recepção do rolo de malha é preciso observar eventuais defeitos de fabricação e pontuar sua qualidade. Algumas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), como a NBR 13378 e NBR 13175, ajudam a identificar problemas de acordo com o tipo de malha.

Entre os aspectos a considerar ao receber um rolo de malha na sua empresa, para fins de controle de qualidade têxtil, estão:

  • Largura e comprimento

    Para programar o encaixe dos moldes e conseguir ter noção das perdas de malha que ocorrerão durante o corte, é essencial que a malha do rolo tenha a largura adequada. Esse critério vai afetar, de forma direta, o custo de produção da sua indústria.

  • Imperfeições

    Falta de fio, esgarçado de trama, manchas, malha apelotada e ourela rasgada são apenas alguns dos defeitos de fábrica que podem ser observados em um rolo de malha. Essas imperfeições poderão causar problemas nas peças produzidas.

  • Gramatura

    É pela gramatura – massa por área de malha, medida em gramas/m² – que uma malha pode ser identificada como leve, média ou pesada.
    Pode parecer dispensável, mas este critério vai tornar mais fácil a escolha da agulha e da linha de costura que será usada na confecção das peças.

 

Como fazer controle de qualidade têxtil baseado em dados?

Após conferir a quantidade de rolos de um pedido recém-chegado a sua empresa, o ideal é fazer imediatamente a verificação da regularidade metrológica, ou seja, da largura e comprimento de cada rolo de malha.

O uso de tecnologia proporciona precisão nessa tarefa, como você pode conferir neste artigo sobre controle de qualidade na era da Indústria 4.0. Ter acesso ao dados atualizados de tudo que foi recebido, com informações como número de furos e manchas por rolo, é um passo básico para que o controle de qualidade seja eficiente na preparação de malha.

Por meio de máquinas inteligentes como a  Revisadeira de malhas REV150 iConcept View da Delta Equipamentos é fácil inspecionar os rolos. Isso porque, seja na hora de receber matéria-prima, ou em qualquer outra fase da produção que exija o controle de qualidade têxtil da malha, a Revisadeira facilita a análise de defeitos e a classificação.

 

Por meio dela, o operador do equipamento observa todos os problemas de cada rolo e registra em um mapa de defeitos. Este relatório é inserido no sistema para o controle de qualidade têxtil.

A triagem realizada possibilita uma seleção qualitativa e o direcionamento de cada rolo de malha para a confecção do produto ao qual oferecerá melhor aproveitamento. Com isso, a confecção obtém um grande diferencial competitivo e passa a executar um controle de qualidade efetivo.

 

Como gerenciar os dados coletados?

Entre os maiores benefícios de uma gestão focada em dados estão o controle e a padronização de processos. No entanto, quando os dados são coletados, eles também precisam ser gerenciados e organizados de acordo com suas funções. Isso pode ser feito por meio da implantação de um sistema de gestão empresarial, como o ERP.

Validação de dados sendo realizada em um dashboard de um sistema ERP.

O Planejamento dos Recursos da Empresa ou Enterprise Resource Planning (nome original), permite o gerenciamento de uma série de tarefas por um software ou por pessoas.

Basicamente, o ERP confere maior fluência à transmissão de informações. Além de permitir tomadas de decisões mais assertivas e de forma muito mais ágil. Com o uso de um sistema ERP é possível coletar e organizar dados de diversas etapas da cadeia produtiva e de diferentes setores de uma empresa.

Isso assegura que gestores tenham acesso a indicadores de performance em tempo real e possam realizar intervenções em qualquer fase ou área de produção, em momento oportuno.

 

Por que inovar o quanto antes nos processos de preparação de malha?

As empresas têxteis carecem de inovação em seus processos de controle de qualidade na produção o quanto antes, incluindo na preparação de malha. Existem diversos motivos pelos quais as confecções devem adotar as inovações da indústria 4.0 o quanto antes, conheça algumas delas a seguir.

Informações baseadas em dados são confiáveis

Não dá para o beneficiamento ficar pensando que entregou um rolo de malha de qualidade para a confecção, que por sua vez, fica pensando que recebeu um rolo de qualidade. No fim, ninguém tenha certeza e as chances de que haja algum problema nos tecidos são grandes.

Ter um processo de controle de qualidade na entrada de insumos é a base de qualquer confecção que visa entregar qualidade como resultado do seu processo produtivo.

O mercado não tem espaço para “achismos”, muito pelo contrário, exige um controle de dados efetivo e contínuo por parte de toda a cadeia produtiva têxtil: desde o beneficiamento até a confecção. Sendo assim, é importante implantar soluções modernas para produzir cada vez com mais eficiência e qualidade.

A sustentabilidade também precisa ser levada em consideração

A matéria-prima é o ouro da confecção e não pode ser desperdiçada por falta de qualidade. Além de reduzir custos e “fazer mais com menos” serem indispensáveis, a sustentabilidade é uma tendência que cresce cada vez mais, uma vez que as empresas já estão começando a compreender a importância de produzir impactando o mínimo possível o meio ambiente.

E por sustentabilidade entende-se não apenas criar peças de confecção com produtos alternativos, mas principalmente, inovar e automatizar processos para evitar desperdícios e gerar menos resíduos.

A concorrência vai atropelar a indústria que não inovar

A preparação de malha e o uso de processos automatizados para identificar os rolos de melhor qualidade podem fazer uma indústria aumentar as vendas. Do contrário, a ausência desses mecanismos de gestão pode fazer uma empresa perder excelentes negócios, pela incapacidade de entregar a qualidade que o cliente exige e espera.

Um exemplo bem atual é o de grandes magazines, que só compram peças de confecção que atendam a seus padrões de qualidade.

A busca por ganho de qualidade vem sendo impulsionada pela automação de processos trazida pela indústria 4.0 e as exigências do mercado.

 

Quem não se adequar, tende a ficar cada vez menos competitivo ou até mesmo estagnado.

 

O resultado pode ser muito prejudicial, pois, caso uma confecção compre um rolo de malha que veio cheio de defeitos do beneficiamento, terá problemas na hora de produzir as peças, que não atenderão às exigências e serão recusadas pelas grandes redes varejistas, como Renner, C&A, Marisa, entre outras.

Levando em consideração que a perda de contratos com clientes importantes é muito prejudicial para a confecção, o gestor da indústria têxtil precisa estar atento para não acabar prejudicando a empresa.

É importante saber quais matérias-primas proporcionam mais lucro

A primeira vista, entre um rolo de malha de R$ 20,00 o quilo e um de R$ 25,00 o quilo, o que parece custar menos à confecção é o de menor preço. No entanto, ao observar mais atentamente é possível perceber que não é somente o preço que deve ser analisado.

O índice de aproveitamento dos rolos de malha também é muito importante e ignorá-lo é uma grande falha de gestão que gera prejuízos à indústria têxtil. Infelizmente, este erro acontece com muita frequência, pois as empresas costumam analisar o preço de entrada da matéria-prima, quando deveriam preocupar-se em supervisionar o custo que ela representa em seu produto final.

O problema é que, o rolo que apresenta muitos defeitos, como furos e manchas, é de má qualidade e seu uso terá influência direta no resultado final do produto confeccionado. Utilizar uma matéria-prima com diferentes tons de amarelo para confeccionar camisetas, por exemplo, fará com que as peças não saiam padronizadas.

Banner do e-book: evolução da confecção 4.0.

Ter um processo de controle de qualidade na entrada de insumos é a base de qualquer confecção que visa entregar qualidade como resultado do seu processo produtivo. Se o rolo não passar pela devida inspeção e sua malha for usada, as camisetas confeccionadas terão de ser vendidas como produtos de segunda qualidade.

 

+Saiba mais: O que é controle de qualidade? Como funciona na indústria têxtil?

No entanto, o valor investido na produção permanecerá o mesmo, pois sua indústria usará a mesma estrutura que empregaria para confeccionar camisetas de primeira linha, inclusive máquinas, funcionários, horas de trabalho, entre outros.

Portanto, a margem de lucro de uma confecção têxtil começa exatamente aqui, pela preparação de malha. Isso significa que, se a sua empresa pagou R$ 20,00 pelo quilo dessa malha, mas não conseguiu aproveitá-la completamente, no final da produção o ROI desse rolo será muito inferior ao esperado.

 

Como calcular o ROI do fornecedor de malha?

O Retorno Sobre o Investimento(ROI) é uma métrica que pode ser utilizada para calcular o lucro que retornou para a empresa de acordo com o valor investido. Para calcular o Retorno sobre Investimento (ROI) do seu fornecedor de rolo de malha, basta subtrair o valor investido inicialmente para aquisição da matéria-prima, do valor do lucro obtido com a venda de peças fabricadas com a malha do rolo. Em seguida, divida o resultado novamente pelo valor do investimento inicial.

Ilustração gráfica da formula de calculo do retorno de investimento em sustentabilidade na confecção.

O resultado é o ROI que precisa ser constantemente monitorado para que a empresa tenha consciência real do quanto ganha com cada matéria-prima adquirida.

Caso você trabalhe em uma confecção têxtil na qual os gestores ainda têm a ilusão de que o melhor fornecedor de rolo de malha é o com o menor preço, está na hora de alertar seu chefe. A empresa pode estar acumulando prejuízos. Para levá-lo a refletir faça os seguintes questionamentos:

  1. Qual o impacto financeiro do retrabalho?
  2. Qual seu fornecedor mais barato? Baseado em que: preço do rolo ou qualidade?
  3. Qual é o rendimento de cada quilo de malha dos seus rolos ao final do processo de produção?
  4. Essa indústria vende toda a produção como produto de primeira ou de segunda qualidade?

Lembre o gestor da sua empresa de que é possível devolver rolos com problemas, mapear os melhores fornecedores, padronizar a produção e vender produtos de melhor qualidade. Todos esses cuidados terão reflexo direto nas vendas, lucro e satisfação de clientes.

Se ele ainda não estiver convencido, apresente a fórmula do fornecedor mais barato: Fornecedor mais barato = Preço baixo + Rendimento (Produto de maior qualidade).

 

Onde encontrar soluções para automação de qualidade?

Como você pode perceber, a partir da automação do controle de qualidade, as decisões da indústria têxtil passam a ser orientadas por dados. Com isso, é possível reduzir a discrepância de valor entre a peça final padrão e as de segunda qualidade, que são vendidas muito abaixo do preço (praticamente só para pagar a produção).

Também são obtidas vantagens como visão clara dos recursos e insumos, pleno entendimento da produção, redução de erros e falhas e aumento da produtividade. Se você deseja modernizar a sua confecção e realizar a preparação de malha de maneira eficiente, saiba que isso pode ser obtido por meio de equipamentos especialmente desenvolvidos para atender ao setor têxtil. Seja na tecelagem, no beneficiamento ou na confecção.

A Delta Equipamentos oferece soluções que atendem a cadeia produtiva de uma ponta a outra. Para saber como nossos equipamentos podem oferecer os dados que sua indústria precisa para melhorar a qualidade, reduzir custos e ampliar a margem de lucro, fale com a nossa equipe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *