O que é controle de qualidade? Como funciona na indústria têxtil?

nov 01

Controle de qualidade é prevenir falhas e problemas em processos e produtos, para suprir de maneira eficiente as necessidades e desejos dos clientes da indústria têxtil.

Portanto, não é apenas conferir e contar defeitos de produtos finalizados. Pelo contrário, o propósito é antecipar-se a possíveis problemas e encontrar soluções para evitar que aconteçam.

Otimizar processos para melhorar e integrar metodologias de trabalho, reduzir custos e potencializar a produtividade são ações vitais para a indústria têxtil.

Sendo assim, em se tratando de controle de qualidade, é fundamental coletar, analisar e controlar dados do processo produtivo.

No entanto, para estes procedimentos surtirem resultados confiáveis é importante:

  • Diminuir ruídos na comunicação.
  • Fazer uso de painéis de gestão com informações transparentes.
  • Atualizar em tempo real os indicadores mais importantes.
  • Quando possível, contar com pesquisas de satisfação dos clientes.

 

Automação têxtil dá suporte ao controle de qualidade

É comum verificar desperdício de matéria-prima na indústria têxtil, devido à falta de informação e de automação de processos. Normalmente, o foco das companhias está voltado às peças finalizadas. Com isso, deixam de prestar a devida e indispensável atenção à qualidade da matéria-prima.

Monitorar dados técnicos do material base de uma confecção, por exemplo, permite programar enfesto e corte sem desperdícios.

Automação-têxtil-dá-suporte-ao-controle-de-qualidade
Programando a automação de processos.

Com a automação têxtil é possível, entre outras coisas, obter informações reais sobre cada rolo de tecido de um estoque: a metragem, área útil, gramatura, rendimento.

Neste caso, o controle de dados permite ir ao estoque e escolher o rolo de tecido que fornecerá o melhor aproveitamento (desempenho) para cada ordem de corte. A tecnologia possibilita uma visão antecipada de variáveis e um controle de qualidade preventivo, para direcionar a gestão da indústria têxtil.

 

Vantagens do controle de qualidade

Respeitar critérios de produção e fazer um rigoroso controle de qualidade exige muita dedicação de sua empresa, mas é compensador.

Além de colaborar para a competitividade dela no mercado, fomenta o seu desenvolvimento.

Outras vantagens de investir em controle de qualidade na produção da indústria têxtil são:

  • Aumento da produtividade.
  • Planejamento mais eficiente.
  • Redução de perdas de materiais (desperdícios).
  • Diminuição de custos.
  • Aperfeiçoamento da gestão de materiais e de máquinas.
  • Melhoria da qualidade final de produtos.
  • Possibilidade de oferecer preços mais competitivos.
  • Repetibilidade (confiança do cliente/credibilidade da sua empresa).

 

Como surgiu o controle de qualidade?

Os métodos de controle de qualidade, como se apresentam na atualidade, surgiram no século XX. Mas, o processo nasceu com as primeiras relações de compra e venda ao longo da História.

Com a aparição dos primeiros artesãos teve início a preocupação de criar termos descritivos sobre a fabricação de produtos. Na Idade Média, as guildas determinavam padrões de qualidade para produtos. Artesãos que os desrespeitam eram punidos.

Depois veio o interesse de reis pela especificação de critérios para os produtos que adquiriam. Havia até fiscalização ou controle de qualidade, realizado por membros da corte.

 

Qualidade melhorou com o surgimento da indústria

No período antecedente à indústria, os próprios artesãos passaram a estabelecer regras para qualificação de seus produtos. Já a partir da Revolução Industrial, a qualidade passou a ser uma característica de maiores dimensões.

Fábricas tinha supervisores para fiscalizar a produção de seus operários. Os produtos passaram a seguir normas de fabricação pré-estabelecidas. E a padronização tornou-se uma forma de evitar desperdícios.

 

Qualidade-melhorou-com-o-surgimento-da-indústria
Fábrica do período da revolução industrial.

Na época, ficou estipulado que a quantidade aceitável de produtos com defeitos fabricados por uma indústria não poderia ultrapassar o máximo de 4%.Em período mais atual, o Japão pós-guerra chegou a ser um dos “maiores exemplos” de produção sem controle de qualidade.

Porém, reverteu a situação depois de ser obrigado a elevar seus padrões de produção pela presença de americanos no país. Na atualidade, o Japão destaca-se pela excelência de seus processos industriais.

 

Um conceito em evolução

Assim como as formas de controle de qualidade evoluíram com o tempo, seu conceito e finalidade também sofreram variações.

Antes da internet, obviamente que essas mudanças eram mais lentas. Hoje, período em que tecnologias sobrevivem por pouco tempo até o surgimento de outras mais eficazes, a tendência é de processos cada vez mais específicos.

 

Acompanhe a seguir três etapas da evolução do controle de qualidade até os dias atuais:

 

1- Fase da inspeção da qualidade

O foco era o produto. Eles eram inspecionados por observação direta, e era comum o cliente participar da averiguação.

Poderiam ser avaliados aleatoriamente ou um a um. O processo era muito lento. Além disso, apenas apontava falhas.

Não resolvia os problemas para melhorar a qualidade.

 

2-Fase do controle por amostragem

Logicamente que a industrialização não permitia mais inspecionar produtos um a um.  A solução encontrada foi usar o controle estatístico ou controle por amostragem.

O período se estendeu de meados dos anos 30 até os anos 80 do século passado (XX). Foi quando surgiram também os departamentos de controle de qualidade.

Esse setor da indústria era responsável por localizar defeitos em produtos e, só então, pensar em como resolver os problemas apurados.

 

3- Fase da qualidade total

É a etapa atual. Agora, não basta mensurar a qualidade. Ela precisa ser controlada. A meta é atender ao que o cliente espera e satisfazê-lo plenamente. Não existe um departamento responsável pelo controle de qualidade, ela tornou-se uma tarefa da empresa toda e até de parceiros e fornecedores.

O trabalho principal é o de prevenção. A indústria têxtil precisa buscar novos instrumentos para garantir a qualidade dos processos de produção.Felizmente, a indústria vive uma das melhores etapas da evolução do controle de qualidade.

 

Fase-da-qualidade-total
Controle de qualidade sendo realizado.

A automação de processos, a engenharia de produtos e uma série de outras tecnologias facilitam o desenvolvimento do setor têxtil. Até o acompanhamento da qualidade pode ser realizado de forma personalizada, atendendo as necessidades específicas de cada empresa.

A Delta Equipamentos dispõe de várias soluções para atender empresas do setor. Além disso, caso deseje mais informações sobre controle de qualidade, acesse abaixo o nosso e-book “Como garantir o controle de qualidade na indústria têxtil?”.

Qualidade na indústria têxtil

Um comentário em “O que é controle de qualidade? Como funciona na indústria têxtil?”

  1. Gostei pois trabalho em uma empresa q tem o controle da qualidade uma a uma como tem por amostragem. A cada produto estipulamos qual o controle que iremos fazer,para satisfazer os nossos clientes. Muito bom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *