fev 20

Divertidas, estilosas, coloridas, únicas. Essas são apenas algumas das qualidades das peças criadas pela Vintax, marca brasileira slow fashion que chega ao mercado da moda levantando a bandeira da sustentabilidade, trazendo à tona a importância do consumo consciente e da produção artesanal.

Seu grande diferencial é usar retalhos de tecidos que iriam para o lixo mas, que ao invés disso, são ressignificados e transformados em acessórios exclusivos como gravatas (borboleta, charutinho e slim) e suspensórios, feitos por mãos, mentes e corações cheios de talento e amor.

Gabriel Bastos, de 26 anos e Relações Públicas, é quem teve a grande sacada. Nada trivial, a Vintax foge com maestria do lugar comum, da imposição dos gêneros (é para homem, é pra mulher, criança, é pra quem quiser), do padrão de idade, da seriedade das cores pálidas e sóbrias.

É a criatividade e o empreendedorismo pensada para arrancar sorrisos dos que se entregam aos diferentes tons da vida. Para acompanhá-la, por que não uma peça diferente, upcycling e impecável?

Fizemos uma entrevista exclusiva com Gabriel que nos contou tudo sobre a Vintax. Confira:

follow-the-colours-vintax-gravatas-upcycling-07

FTC: Poderia nos contar, com as suas palavras, um pouco sobre você e como surgiu a Vintax?

Gabriel: Sempre quis empreender. No início do ano eu abri meu food truck, chamado Fritten Freud, de batatas fritas belgas. Um grande amigo meu criou uma marca de camisas chamada Sueka, nesse meio tempo. Junto com ele, comecei a frequentar eventos de moda, ler mais sobre slow fashion, assistir a documentários, entre outras coisas.

Queria pensar em algo ligado à moda, até que tive uma ideia. Ao tentar achar uma gravata borboleta diferente no shopping, vi que não havia nenhuma. Pesquisei na internet e não achei nada diferente e barato. Daí surgiu a ideia de criar a marca e ainda unir o upcycling.

FTC: Como foi a escolha do nome da marca?

Gabriel: Uni o vintage com algo mais moderno. Vintax lembra vintage de alguma maneira, mas tem esse tom de novo no nome.

FTC: Qual é o propósito e a ideia principal que sustenta a Vintax?

Gabriel: A Vintax traz gravatas e acessórios com preços bons, material de qualidade e sustentabilidade na veia. Fora isso, temos três pilares que nos norteiam: genderless (sem gênero), ageless (sem idade) e seriousless (que arranquem um sorriso).

FTC: A marca está desenvolvendo algum projeto paralelo ou novas parcerias?

Gabriel: Sempre (rs). Estamos desenvolvendo carteiras com tecidos da Insecta Shoes e acessórios para casamentos, usando também tecidos, para a Tiê Moda Sustentável.

FTC: Como é a produção das peças Vintax?

Gabriel: Eu faço a curadoria dos tecidos, ou seja, entro em contato com marcas pelo facebook, e-mail ou telefone. Conseguindo as doações de tecido, entrego para as meninas da Dressper (marca que atua em Porto Alegre com foco em casamento e que há 7 anos que produzem para mim) e elas vêm quanto rende.

Ficando pronto, tiro fotos e subo no site, ou distribuímos para os pontos de venda. De tanto em tanto tempo mexemos os produtos entre os pontos.

FTC: O que tem aprendido desde que começou a trabalhar com um estilo de vida mais consciente?

Gabriel: Quando se está no meio você vê muito mais pessoas e marcas que buscam esse estilo. Pessoas que vão atrás de quem realmente produz suas roupas, que tentam entender o real valor de uma marca ou produto.

FTC: Você já se interessava pela ideia de sustentabilidade antes de criar as gravatas?

Gabriel: Sim. Sempre busquei ler sobre o tema e me inteirar. Agora ainda mais.

FTC: Com o que (ou quem) você se inspira?

Gabriel: Rony Meisler, da Reserva, com o modo de levar a empresa, cuidado com funcionários, projetos internos. André Carvalhal, criador da Malha, por trazer um projeto incrível para o país, e o Tiago Mattos, criador da Perestroika. Ele tem um livro que me inspirou muito o ‘Vai lá e Faz’.

follow-the-colours-vintax-gravatas-upcycling-01

FTC: O que há em comum entre a arte e a moda sustentável da Vintax?

Gabriel: Tratamos cada peça da Vintax como uma obra. Nenhuma fica exatamente igual à outra. Cada tecido que conseguimos é algo que está deixando de ir pro lixo, muitas vezes.

Quem disse que gravata é coisa só de homem? Olhem como essa charutinho fica ótima em mulheres!

FTC: Qual a influência das cores e estampas no seu trabalho?

Gabriel: É nosso diferencial. Estampas e cores vivas que tragam beleza e transformação às pessoas.

follow-the-colours-vintax-gravatas-upcycling-05

FTC: Cite 5 coisas que não consegue viver sem.

Gabriel: Família, amigos, casa, viagem, sorrisos.

FTC: Um filme, uma música e um livro que poderiam lhe representar.

Gabriel: Filme: Intocáveis / Música: Rubel – Quando bate aquela saudade / Livro: Gabriel Garcia Marques – 100 anos de solidão.

FTC: Uma frase da sua vida.

Gabriel: “Não há felicidade para o caminho; a felicidade é o caminho” (Gandhi).

Além das peças incríveis e todo conceito, a marca fez um lindo ensaio fotográfico com idosos no Asilo Padre Cacique em Porto Alegre usando suas peças. Uma ideia única e especial, não? <3

Gravatas e acessórios feitos com tecido reaproveitado – Ageless / Seriousless / Genderless;

follow-the-colours-vintax-gravatas-upcycling-06

Sobras de madeira e tecido também foram ressignificados!

follow-the-colours-vintax-gravatas-upcycling-04

 

Fonte: Textile Industry

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × quatro =