abr 25

É imprescindível, para o sucesso e sobrevivência das organizações, a busca por uma melhora significativa no desempenho das empresas, tornando os equipamentos propícios a oferecer um aumento significativo de performance e, consequentemente, uma melhor produtividade.

A automatização, modularização e padronização de métodos, processos, rotinas de trabalho e de funcionamento dos equipamentos, se tornam itens cruciais e de obrigatoriedade nas organizações para terem como base uma posterior implantação e desenvolvimento da indústria 4.0.

 

Origem da Indústria 4.0

O termo Indústria 4.0 foi usado  pela primeira vez em 2011, é oriundo  de um projeto de estratégias do governo  alemão voltado para a tecnologia. Tem como foco  a conectividade, ou seja, conectar toda uma indústria, desde a produção até o sistema de vendas.

Nesse novo conceito de Smart Factory, que é uma fábrica inteligente com uma estrutura modular em que os sistemas ciber-físicos monitoram processos físicos, tomam decisões descentralizadas, fazem uso intenso de Internet das Coisas(IoT) e se comunicam entre si e com humanos em tempo real, é preciso buscar adequação imediatamente.

Máquinas têxtil em funcionamento.

Ainda há muito desconhecimento estratégico sobre a transformação digital e resistência para aplicação dos novos conceitos na cadeia industrial têxtil existente.

O grupo de trabalho alemão, para a Indústria 4.0, definiu 8 áreas-chave que precisam de pesquisa e aprofundamento para que os conceitos da iniciativa sejam implementados. São elas:

  • Normatização e padrões abertos para uma arquitetura de referência;
  • Gestão de sistemas complexos;
  • Possuir uma estrutura de banda larga abrangente para a indústria;
  • Questões de safety e security como fator crítico para o sucesso da indústria 4.0;
  • Projeto e organização do trabalho adequado para a era digital industrial;
  • Treinamento e desenvolvimento profissional contínuo;
  • Framework regulatório;
  • Uso eficiente dos recursos.

O aperfeiçoamento nessas áreas resultam no desenvolvimento de uma nova cadeia de valor: inteligente, conectada e ágil, na qual o ser humano é visto como elemento criativo e gestor de recursos.

 

Manufatura avançada

As mudanças propostas pela manufatura avançada (outra forma de chamar a Indústria 4.0) têm um avanço exponencial da capacidade dos computadores, uma imensa quantidade de informação digitalizada e novas estratégias de inovação. Tem como benefícios:

  1. Redução de custos;
  2. Economia de energia;
  3. Aumento de segurança;
  4. Conservação ambiental;
  5. Redução de erros;
  6. Fim do desperdício;
  7. Transparência nos negócios;
  8. Aumento da qualidade de vida, personalização e escala sem precedentes.

Entre os princípios para o desenvolvimento e implantação da indústria 4.0, que definem os sistemas de produção inteligentes que tendem a surgir nos próximos anos, está a modularidade, que é a produção de acordo com a demanda, acoplamento e desacoplamento de módulos na produção. O que oferece flexibilidade para alterar as tarefas das máquinas facilmente.

Conectando máquinas, sistemas e ativos, as empresas poderão criar redes inteligentes ao longo de toda a cadeia de valor que podem controlar os módulos da produção de forma autônoma.

As fábricas inteligentes terão a capacidade e autonomia para agendar manutenções, prever falhas nos processos e se adaptar aos requisitos e mudanças não planejadas na produção.

 

A transformação digital hoje

Esta revolução tecnológica que estamos presenciando altera fundamentalmente a maneira como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos uns com os outros. Em sua escala, escopo e complexidade, a transformação será diferente de tudo que a humanidade já experimentou antes.

A tecnologia é uma das principais razões pelas quais a renda estagnou, ou mesmo diminuiu, para a maioria da população em países de alta renda: a demanda por trabalhadores altamente qualificados aumentou, enquanto a demanda por trabalhadores com menos escolaridade e habilidades reduzidas diminuiu.

O resultado é um mercado de trabalho com uma forte demanda nos pontos altos e baixos, mas um esvaziamento do meio.

 

4 Efeitos da indústria 4.0

No geral, existem quatro efeitos por excelência que a 4ª Revolução Industrial irá gerar no mundo dos negócios: no que respeita às expectativas dos consumidores, à melhoria dos produtos, à inovação colaborativa e às formas organizacionais.

Sejam consumidores ou empresas, os clientes estão, de forma crescente, no epicentro da economia, o que significa que “tudo” está relacionado com a melhoria das formas mediante as quais serão servidos.

 

Cada vez mais, os produtos e os serviços físicos podem ser melhorados com funcionalidades digitais que aumentam o seu valor.

 

 

Banner do e-book: evolução da confecção 4.0.

Cada colaborador e empresário precisa acima de tudo se informar sobre as tecnologias existentes e estar em constante atualização e busca de conhecimento. Para cada situação haverá uma sequência de passos a seguir, mas para dar o primeiro passo é necessário conhecimento e atitude.

Hoje, a maioria das empresas fabrica para depois vender, agora você vai vender para depois fabricar. É uma inversão da forma de venda e produção. Isso terá impacto na cadeia logística, usá-la menos é uma tendência. Ser muito mais para o cliente final, do que levar para uma loja ou um centro de distribuição, para então o cliente comprar e levar pra casa. Esta realidade já está acontecendo, não há tempo a perder.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *