jul 27

Quatro pesquisadores da área de robótica, dois da Espanha e duas do Canadá, desenvolveram um modelo matemático capaz de avaliar se uma pessoa está vestida na moda ou não, e caso conclua que esteja defasada, dá conselhos sobre como melhorar as combinações. A pesquisa Neuroaesthetics in Fashion: Modeling the Perception of Fashionability foi apresentada no início de junho dentro da programação do principal congresso sobre visão computacional do mundo, realizado em Boston, nos Estados Unidos.

O desafio proposto pelos quatro foi construir um algoritmo capaz de aprender o conceito de moda, a ponto de discernir se determinada forma de vestir está ou não na moda e aconselhar a pessoa sobre como vestir-se. Para isso, usa o fundamento da visão computacional e técnicas de reconhecimento de padrões aplicados a um banco de dados de 144 mil fotos retiradas do Chictopia, espécie de rede social para fashionistas.

O que algoritmo faz é comparar essas imagens com a quantidade de ‘likes’ e características dos comentários a elas associados, de maneira que o sistema entende que quanto mais seguidores ou apreciadores, mais na moda a pessoa estaria. Se a foto postada não for lá muito popular, o computador faz recomendações do tipo use saia em tons pastel com bolsa preta e salto, por exemplo. As análises acompanham as mudanças ao longo do tempo, identificando padrões de escolhas em cidades como Los Angeles ou Manila; tipo de roupa; se é homem ou mulher; e até o entorno da fotografia.

O banco de dados Fashion144K analisou imagens obtidas entre março de 2008 e maio de 2014. Os autores da pesquisa são Edgar Simo-Serra e Francesc Moreno-Noguer, do Institut de Robotica i Informática Industrial (CSIC-UPC), da Espanha; Sanja Fidler e Raquel Urtasun, do departamento de ciência da computação da University of Toronto.

Fonte: gbljeans

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − catorze =